Página gerada às 15:01h, quinta-feira 21 de Setembro

Vila Real passa a ter o laboratório de Realidade Virtual mais avançado da península Ibérica

13 de Setembro de 2017, 15:28:43

Ao contrário dos restantes laboratórios de realidade virtual existentes em Portugal e Espanha que apenas privilegiam o sentido da visão e da audição, o MASSIVE Virtual Reality Laboratory distingue-se por estudar a estimulação dos cinco sentidos em aplicações de Realidade Virtual, não só no que diz respeito à investigação fundamental, mas também a um nível aplicacional, explica-se num comunicado enviado às redações.

O fator diferenciador do MASSIVE está na produção de soluções de realidade virtual multissensorial que permitem criar ambientes mais credíveis e eficazes em áreas como a educação, treino e certificação, indústria, turismo ou saúde.

Este laboratório, que envolveu um investimento de 700 mil euros, está equipado com as mais recentes tecnologias na área da Realidade Virtual, que se encontram organizadas em quatro espaços diferentes: sala experimental, sala experimental multissensorial, sala de controlo e sala de questionários.

“O objetivo agora é tornar o laboratório um espaço aberto à colaboração com a comunidade académica e industrial. Pretendemos apoiar a competitividade da economia recorrendo às soluções tecnológicas de que dispomos”, explica Maximino Bessa, investigador do Centro de Sistemas de Informação e Computação Gráfica do INESC TEC responsável pelo laboratório, que também é docente na UTAD.

Apesar de só ser inaugurado oficialmente dia 18 de setembbo, MASSIVE Virtual Reality Laboratory já tem a decorrer três projetos no laboratório. O projeto HDR4RTT é cofinanciado pelo Office of Naval Research, uma agência do Departamento de Defesa dos Estados Unidos da América, e tem como objetivo investigar e desenvolver novos algoritmos para imagens de elevada gama dinâmica (HDR) para seguir e exibir de forma robusta, em tempo real, vários objetos em condições extremas de iluminação.

Por sua vez, o projeto DouroTUR tem como objetivo colmatar o fosso existente entre as potencialidades do Douro e o seu desenvolvimento, maximizando o papel do turismo na estimulação da economia local, sob uma perspetiva sistémica e holística. Já a linha de investigação FOUREYES relativa ao projeto TEC4GROWTH tem como objetivo facilitar a captura, criação, transformação, distribuição e acesso a conteúdos audiovisuais de uma forma personalizada, imersiva e interativa.

Comentários

Critério de publicação de comentários