Página gerada às 03:17h, segunda-feira 20 de Novembro

Justiça norte-americana investiga subornos a petrolíferas do Brasil, Angola e Guiné Equatorial

14 de Novembro de 2017, 08:55

Dois antigos quadros de uma empresa holandesa de serviços de petróleo assumiram perante a Justiça norte-americana que pagaram subornos a funcionários das petrolíferas estatais do Brasil, Angola e Guiné Equatorial, algures entre 1996 e 2012.

Em causa está a atividade da Oil Services Company e alegados atos de suborno praticados por Anthony Mace, britânico de 65 anos, na altura diretor executivo da empresa e responsável da subsidiária da companhia nos Estados Unidos, e Robert Zubiate, norte-americano de 66 anos, responsável pela área de vendas e marketing na mesma subsidiária, com sede em Houston.

Ambos foram ouvidos por um procurador norte-americano, em Houston, Texas, entre 06 e 09 de novembro, e declararam-se culpados por violação da Foreign Corrupt Pratices Act (FCPA) - legislação anticorrupção transnacional dos Estados Unidos -, "pelos seus papéis num esquema de suborno" no Brasil, Angola e Guiné Equatorial, indica uma informação do Departamento de Estado, consultada hoje pela Lusa.

Os subornos terão envolvido altos quadros da Petróleo Brasileiro S.A. (Petrobras), da Sociedade Nacional de Combustíveis de Angola (Sonangol) e da Petroléos de Guinea Ecuatorial (GEPetrol).

No caso da GEPetrol, um dos acusados admitiu pagamentos a cinco pessoas, totalizando 16 milhões de dólares (13,7 milhões de euros) em subornos, feitos através da subsidiária norte-americana da Oil Services Company.

A leitura da sentença está marcada para 31 de janeiro e 02 de fevereiro, no tribunal de Houston.


Lusa