Página gerada às 06:23h, domingo 26 de Março

Huíla: Detidos 22 garimpeiros ilegais de ouro no município da Jamba

20 de Março de 2017, 11:43

Vinte e dois cidadãos, dos cinco de nacionalidade chinesa, que se dedicavam ao garimpo ilegal de ouro na localidade de Limpopo, comuna de Tchamutete, no município da Jamba, na Huíla, foram este mês detidos pela Polícia Nacional.

A informação foi hoje, domingo,prestada à Angop, pelo administrador municipal da Jamba, Miguel Cassela, afirmando que a detenção destes indivíduos foi feita na sequência de uma operação policial, após denúncias de moradores da área que registaram circulação de pessoas estranhas na região.

Miguel Cassela disse que os suspeitos são indivíduos que trabalharam no processo de prospecção do ouro e foram influenciados por cidadãos residentes nas províncias do Cunene, Huambo, Luanda e Cuando Cubango, por estes conhecerem bem a área.

Explicou que os cidadãos têm estado a destruir os marcos da prospecção, situação que preocupa as autoridades administrativas da Jamba, que já comunicou a Polícia Nacional para reforçar a fiscalização nestas localidades.

O processo de prospecção do ouro na Jamba teve início em 2012 e a exploração deve arrancar em 2018, onde espera-se, numa primeira fase, uma produção de 780 mil toneladas, do que resultará a produção de 22 mil e 218 onças.

Limpopo será a primeira exploração de ouro no país pós independência, 1975, e será feita numa concessão de mil e 930 quilómetros quadrados, com garantias de gerar para os cofres do Estado Usd 25 milhões, por ano, na sua produção inicial.

O município da Jamba dista a 315 quilómetros a leste da cidade do Lubango, província da Huíla, e tem uma população estimada em mais 120 mil e 910 habitantes.


Angop