Página gerada às 12:09h, segunda-feira 24 de Abril

Expansão de medidas preventivas vai travar epidemia de cólera

11 de Janeiro de 2017, 14:13

O ministro da Saúde, Luís Gomes Sambo, reiterou nesta quarta-feira, em Luanda, que medidas preventivas estão em curso em todo o país para suster a expansão da epidemia de cólera que assola o município do Soyo, na província do Zaire, e que já fez sete mortes dos 100 casos registados.



Essas medidas, de acordo com o governante, passam pela vigilância epidemiológica activa com a participação das comunidades e o tratamento dos casos suspeitos e identificados.


Luís Gomes Sambo, que falava à imprensa, à margem da cerimónia de  abertura do XXVII Conselho Consultivo Ordinário do seu sector, que decorre sob o lema "Trabalhar Para Melhores Resultados em Saúde” apontou ainda a higiene  alimentar, pessoal e colectiva, o tratamento da água e saneamento do meio, como as que as famílias devem observar para prevenir-se da doença.


Por outro lado, o governante referiu que há dois meses o país não tinha registado nenhum caso de  vírus “zika”, transmitido pelo  mosquito “Aedes Aegypti”, o mesmo que causa a dengue e a chicungunha. Só agora foram detectados dois casos.


O respeito, o titular da pasta da Saúde anunciou que as medidas de prevenção  na luta anti-vectorial dos mosquitos serão as mesmas que foram usadas aquando do combate à febre-amarela.


O  XXVII Conselho Consultivo do Ministério da Saúde, que se estende até sexta-feira, está a passar em revista os assuntos candentes do sector que, para além da epidemia da cólera e casos do zika, analisa também o recrutamento de 900 médicos para a municipalização dos serviços de saúde.


A reforma do sector da saúde, à luz de uma proposta que será apresentada no encontro é outro assunto, de entre vários, que vai prender a atenção dos secretários de Estado, Directores nacionais e de distintos serviços, directores provinciais e outros responsáveis do ministério.



Angop