Página gerada às 04:48h, quarta-feira 20 de Setembro

Associação de vendedores ambulantes vai ser constituída em Cacuaco

11 de Janeiro de 2017, 13:29

Uma associação de vendedores ambulantes vai ser constituída no primeiro semestre deste ano no município de Cacuaco, segundo decisão saída de um encontro entre o administrador municipal, Carlos Alberto Cavuquila e os vendedores de rua da circunscrição, localizada cerca de 18 quilómetros ao Norte da cidade de Luanda.



A criação da associação vai permitir o cadastramento de todos os vendedores, melhorar o relacionamento entre zungueiras e fiscalização, assim como divulgar as sanções aplicáveis no quadro das leis das transgressões administrativas.


Os vendedores em coordenação com a direcção municipal do comércio decidiram  procurar  lugares para a realização de feiras periódicas, na circunscrição, e para o efeito todos os interessados deverão possuir um cartão de feirante e não de ambulante, jã que são categorias diferentes.


Os participantes foram informados das classes de vendedores existentes nomeadamente, ambulante, feirante, de mercado, venda ao domicílio, venda a distância, venda ocasional entre outras modalidades.


Carlos Alberto Cavuquila sugeriu aos vendedores interessados que tratem cartões de ambulante para evitar  "o triste cenário de corridas” que se tem registado entre vendedores e fiscalização, por exercerem a actividade em local impróprio e por falta de identificação que os habilite a comercializar os produtos.


"O fiscal não deve receber a mercadoria do vendedor, mas identificá-lo e caso não exiba o cartão para o efeito é que deve ser multado com a quantia monetária acima de 90 mil Kwanzas. Caso o fiscal não obedeça esta regra deve ser denunciado ao administrador , já que o administrador forneceu o seu contacto telefónico”, afirmou.


O administrador lembrou que a actividade ambulante é exercida, na sua maioria, por  senhoras que vendem produtos comestíveis, cosméticos, entre outros, bem como a troca de moeda nacional e estrangeira, o que é contra a lei.


Existem produtos que não devem ser comercializados na rua, recordou aos  participantes,  como as carnes branca ou vermelha, fumada, miudezas, peixe, medicamentos e produtos farmacêuticos, desinfectantes, insecticida, pesticidas, raticidas, sementes , ervas medicinais, moveis, roupas de cama, electrodomésticos, candeeiros, entre outros.


“ Quem tiver estes produtos deve os vender  no mercado ou no local adequado para tal, porque quem comercializar estes produtos na rua será sancionado”, alertou.


Informou ainda que a venda ambulante na circunscrição deve ser realizada no bairro dos pescadores, barra do Bengo, bairro da Caop Nova, Bairro do Kifangondo, Kicolo nos bairros do Dala Mulemba, Cawelele, ex-hotel mulemba, na comuna da Funda, bairro Caop/Prédio, área adjacente ao mercado da Funda, bairro Maiombe.


É proibida a venda ambulante na orla marítima para evitar que os restos de comida e vasilhames de bebidas sejam atirados para o mar onde os banhistas podem contrair varias doenças.



Angop