Página gerada às 22:22h, sabado 18 de Novembro

Angola melhora saldo da balança comercial para quase quatro mil milhões de kwanzas

11 de Janeiro de 2017, 13:21

A balança comercial angolana registou um saldo positivo de 692,7 mil milhões de kwanzas (quase quatro mil milhões de euros) no segundo trimestre de 2016, com as importações a caírem, em termos homólogos, mais de 13 por cento.

De acordo com um documento estatístico do comércio externo do segundo trimestre, do Instituto Nacional de Estatística (INE) de Angola, libertado apenas este mês e ao qual a Lusa teve hoje acesso, as importações angolanas desceram para 540,3 mil milhões de kwanzas (três mil milhões de euros).

Trata-se de uma quebra, em termos homólogos, mas um aumento de 15,9% quando comparado com o volume de importações que o país fez nos primeiros três meses do ano.

Já as exportações, essencialmente de petróleo, chegaram (em valor) aos 1,233 biliões de kwanzas (sete mil milhões de euros) entre Abril e Junho, um aumento de mais de 40% face ao primeiro trimestre do ano e uma subida de 5,7% em termos homólogos, tendo em conta 2015.

O saldo da balança comercial do segundo trimestre de 2016, que melhorou em 68,3% face ao trimestre anterior, inclui ainda reexportações e reimportações, de acordo com o documento do INE.

Estes resultados são influenciados, nomeadamente, pelo comportamento do preço do petróleo, principal produto de exportação de Angola, que depois de atingir mínimos de vários anos voltou a subir no segundo trimestre.

O país vive desde finais de 2014 uma profunda crise financeira, económica e cambial, decorrente da quebra da cotação internacional do barril de crude, com consequências na quantidade de exportações e importações, neste caso por falta de divisas.

Angola chegou a vender cada barril de petróleo, no primeiro trimestre do ano, a cerca de 30 dólares, quando no mesmo período de 2014 esse valor era superior a 100 dólares.

Máquinas, equipamentos e aparelhos foram os produtos mais importados por Angola, com 132,2 mil milhões de kwanzas (757 milhões de euros), mas só em produtos agrícolas o país comprou ao exterior o equivalente a 36.304 milhões de kwanzas (207 milhões de euros), além de 18.139 milhões de kwanzas (104 milhões de euros) em alimentos, em três meses.

Angola, que é atualmente o maior produtor de petróleo de África, a par da Nigéria, teve ainda de importar 45.954 milhões de kwanzas (263,1 milhões de euros) em combustíveis no mesmo período.

As exportações foram dominadas pelo petróleo, mas o peso no total desceu para 91,2%. Essas vendas de crude ascenderam a 1,124 biliões de kwanzas (6,4 mil milhões de euros), um aumento de 39,9% face aos primeiros três meses do ano, enquanto a exportação de minerais ascendeu a 4.265 milhões de kwanzas (24,4 milhões de euros).

Lusa